17 mulheres importantes que marcaram a história!


Ana Laura Cruz
Ana Laura Cruz
Mestre em Gestão e Estudos da Cultura

Você sabia que há não muito tempo atrás as mulheres não podiam participar de competições de esporte? Ou votar e trabalhar fora? Por muito tempo foi atribuído à mulher um papel doméstico para o cuidado exclusivo dos filhos e da casa.

Ainda há um longo caminho para que se possa considerar a sociedade igualitária em relação ao gênero, mas muito já se mudou graças aos esforços destas e de outras mulheres pioneiras e determinadas.

Veja a seguir 17 mulheres importantes que marcaram a história:

1. Amelia Earhart (1897 - 1939)

A primeira mulher a voar sozinha sobre o Oceano Atlântico

amelie earhart

Um grande símbolo da aviação. Além de ter sido a primeira mulher a voar sozinha sobre o Oceano Atlântico, Amelia também foi a primeira a receber a Cruz de Voo Distinto, a condecoração militar atribuída a atos de heroísmo ou conquista extraordinária concedida a pilotos das Forças Aéreas dos EUA. A piloto desapareceu no Oceano Pacífico enquanto fazia um voo de volta ao mundo.

2. Joana D'arc (1412 - 1431)

Chefe Militar da Guerra dos 100 Anos na França

joana darc

De origem muito simples, a francesa Joana D'arc passou de camponesa analfabeta para chefe de um exército durante a Guerra dos 100 Anos, um feito e tanto para a sua curta vida. Uma das principais mártires da França, foi executada como uma herege em 1431 para, séculos mais tarde, ser canonizada pela Igreja Católica em 1920. Hoje é considerada uma santa.

3. Margaret Thatcher (1925 - 2013)

A primeira mulher a ocupar o cargo de Primeira-Ministra do Reino Unido

Margaret Thatcher

Conhecida como a “Dama de Ferro”, Thatcher foi a pessoa que passou mais tempo no cargo de Primeiro-Ministro durante o século XX, tendo cumprido três mandatos de 1979 a 1990. A governante foi uma grande defensora das ideologias do liberalismo clássico e teve como principal obstáculo em seu governo o grande índice de desemprego causado pela recessão.

4. Rosa Parks (1913 - 2005)

Ativista símbolo do movimento dos direitos civis dos negros nos EUA

rosa parks

Rosa Parks tornou-se o pivô do boicote aos ônibus de Montgomery, o qual acabou com a lei de segregação racial dos transportes públicos da cidade. Na década de 1950, muitas cidades norte-americanas mantinham esta lei, a qual dividia os assentos entre “brancos” e “pessoas de cor”, termo utilizado na época para se referir a afrodescendentes. Em 1955, Rosa Parks se negou a ceder o seu assento para um branco e foi presa. O caso repercutiu no boicote que durou 381 dias, tendo a comunidade negra se negado a usar o transporte até que a segregação fosse encerrada.

5. Yoani Sánchez (1975 - )

Jornalista cubana

Yoani Sánchez

Conhecida principalmente pelos artigos que publica no seu blog Generación Y desde 2007, Yoani Sánchez luta pela liberdade de expressão em Cuba. No país onde a política é totalmente centralizada no Partido Comunista Cubano, a mídia também acaba por ser controlada. Yoani conseguiu levar informações internas para fora do país e se tornou uma voz importante para a reaproximação da Cuba aos EUA.

6. Sofia Ionescu-Ogrezeanu (1920 - 2008)

A primeira neurocirurgiã da história

Sofia Ionescu-Ogrezeanu

Sofia Ionescu ingressou na escola de medicina de Bucareste e inicialmente estudou oftalmologia. Porém com o tempo passou a fazer voluntariado para tratar prisioneiros soviéticos e ali começou a operar cirurgias de amputação. Durante os bombardeios de 1944 em Bucareste, por falta de cirurgiões disponíveis, ela foi obrigada a realizar uma intervenção cirúrgica de emergência no cérebro de uma criança. A partir daí dedicou a vida à neurocirurgia.

7. Madre Teresa de Calcutá (1910 - 1997)

Fundadora da Congregação das Missionárias da Caridade

Madre Teresa

Albanesa naturalizada indiana, Madre Teresa de Calcutá nasceu Anjezë Gonxhe Bojaxhiu e dedicou a vida a cuidar dos mais pobres. Um dos maiores nomes quando se fala em caridade, a beata recebeu o Nobel da Paz em 1979 e foi canonizada em 2016 pelo Papa Francisco. Fundou a Congregação Missionárias da Caridade que está presente em pelo menos 139 países.

8. Valentina Tereshkova (1937 - )

A primeira mulher a ir ao espaço

Valentina Tereshkova

Não só a primeira mulher a ir ao espaço, como ainda hoje é a única que realizou um voo solo. A russa Valentina Tereshkova destacou-se dentre outras candidatas com mais estudos por ser uma exímia paraquedista, algo fundamental para o voo com a nave Vostok VI. Recebeu as duas maiores condecorações nacionais, a Ordem de Lenin e Herói da União Soviética. Anos depois ingressou na vida política do país.

9. Maud Stevens Wagner (1877 - 1961)

A primeira tatuadora profissional

Maud Stevens Wagner

A primeira tatuadora de que se tem notícias, Maud Stevens Wagner era uma acrobata circense quando conheceu o marido Gus Wagner, com quem aprendeu o ofício da tatuagem. É atribuída aos dois a expansão da tatuagem pelo interior dos Estados Unidos.

10. Anita Garibaldi (1821 - 1849)

Combatente da Revolução Farroupilha e da Unificação da Itália

Anita Garibaldi

A “Heroína dos Dois Mundos” foi uma brava guerreira que se apaixonou e lutou ao lado do guerrilheiro italiano Giuseppe Garibaldi pela independência Gaúcha no Brasil e pelo Risorgimento, movimento de unificação da Itália. Ela teve um papel fundamental durante as batalhas e a sua garra e determinação inspiraram diversas homenagens pelos locais onde passou, havendo pelo menos duas cidades em Santa Catarina nomeadas em sua homenagem: Anita Garibaldi e Anitápolis.

11. Bertha Von Suttner (1843 - 1914)

A primeira mulher a receber o Prêmio Nobel da Paz

Bertha Von Suttner

Autora do romance Die Waffen nieder! Abaixo as Armas!, Bertha Von Suttner reuniu nesta obra as suas duas maiores paixões: a literatura e a luta pelo desarmamento. A escritora esteve envolvida na organização do primeiro Congresso Internacional de Paz, em Viena e sempre esteve presente nas edições posteriores. Publicou um jornal dedicado à Paz com o mesmo nome do romance e recebeu o Prêmio Nobel da Paz em 1905.

12. Marie Curie (1867 - 1934)

Duas vezes vencedora do Prêmio Nobel de Química

Marie Curie

A cientista polonesa foi a primeira mulher a ser enterrada no Panteão de Paris por méritos próprios. Não é por menos, já que foi pioneira em diversos aspectos: foi quem descobriu dois elementos da tabela periódica (Polônio e Rádio), quem descobriu e cunhou a teoria da relatividade, foi a primeira professora admitida na Universidade de Paris e a primeira pessoa a receber duas vezes o Prêmio Nobel.

13. Kathrine Switzer (1947 - )

A primeira mulher a participar de uma maratona

Kathrine Switzer

Kathrine Switzer desafiou as regras e se tornou a primeira mulher a correr em uma maratona no ano de 1967, em Boston, quando somente era permitido a homens participar de provas de rua nos EUA. Um dos diretores do evento tentou impedi-la de correr, mas foi bloqueado por outros competidores, tudo em frente às câmeras. Após este feito, a atleta criou a fundação 261 Fearless pela luta pela igualdade de gênero nos esportes.

14. Sabiha Gökçen (1913 - 2001)

A primeira piloto de avião de caça

Sabiha Gökçen

O sobrenome de Sabiha Gökçen significa "pertencente ou relativo ao céu” em turco. Um nome bastante adequado para a primeira mulher aviadora da Turquia e a primeira piloto de combate do mundo. Sabiha Gökçen voou durante toda a vida e a sua última pilotagem foi aos 88 anos de idade.

15. Maria da Penha (1945 - )

Líder de movimentos de defesa dos direitos das mulheres

Maria da Penha

A Lei Maria da Penha em defesa das vítimas de violência doméstica existe hoje no Brasil muito em virtude da luta desta mulher em garantir que o seu agressor fosse condenado. Maria da Penha foi vítima de graves agressões por parte do marido que a deixaram paraplégica. Isto não a impediu de agir em busca de justiça para o seu caso e de criar movimentos em defesa de outras vítimas.

16. Gertrude Ederle (1905 - 2003)

A primeira mulher a nadar pelo Canal da Mancha

Gertrude Ederle

Com apenas 12 anos de idade Gertrude Ederle se tornou a pessoa mais nova a bater um recorde de natação, e este foi apenas o primeiro. Porém, o que a deixou mesmo para a história foi ter sido a primeira mulher a ter atravessado o Canal da Mancha a nado, tendo também batido o recorde nesta ocasião. Antes dela, o nadador mais rápido tinha sido Enrique Tiraboschi com 16 horas e 33 minutos de travessia. Gertrude fez o percurso em 14 horas e 34 minutos.

17. Malala Yousafzai (1997 - )

A pessoa mais jovem a receber o Prêmio Nobel da Paz

Malala Yousafzai
Conhecida internacionalmente pelo seu empenho para que mulheres e crianças paquistanesas recebam educação, mesmo sendo algo contra as ordens do regime talibã. Malala Yousafzai recebeu o Prêmio Nobel da Paz quando tinha apenas 17 anos, em 2014. O seu ativismo começou muito cedo, com apenas 11 anos de idade já escrevia relatos sobre a ocupação talibã, sendo que aos 15 anos sofreu um ataque devido às suas ações ativistas.

Gostou? Veja também os 15 melhores países para morar se você for mulher

Ana Laura Cruz
Ana Laura Cruz
Mestre em Gestão e Estudos da Cultura, especializada em Comunicação Audiovisual desde 2009. Produz textos e eventos culturais. Viaja no mundo e na maionese, sempre que possível de carona.