Recordar é viver: as 25 melhores músicas de amor da MPB do passado


Como já dizia aquela antiga marchinha de Carnaval: "Recordar é viver". E quando o assunto é amor, as lembranças costumam vir recheadas de muitas emoções, algumas boas, outras nem tanto. Se você é saudosista e é chegado num romantismo, está no lugar certo. Preparamos uma lista com grandes sucessos de antigamente sobre o sentimento que dizem mover montanhas: o amor.

1 - Carinhoso, Pixinguinha

Em 1916, Pixinguinha compôs uma das músicas mais conhecidas de toda a MPB. Um verdadeiro clássico dos clássicos, que depois ganhou uma letra, de autoria de João de Barro, que descreve os sentimentos de uma alma apaixonada diante da recusa da pessoa amada. Lindo demais! Ideal para os apaixonados de todas as épocas.

2 - As rosas não falam, Cartola

Gravada pela primeira vez em 1974, esse samba de Cartola é uma daquelas músicas que fazem arrepiar até o último fio de cabelo. A lembrança da mulher amada faz o homem se queixar às rosas, mas as rosas, como sabemos, não falam e ainda por cima exalam o perfume que o faz se lembrar dela. É de chorar, não é mesmo?

3 - Último desejo, Nelson Gonçalves

Com o perdão da rima clichê, não tem como falar de amor sem falar de dor. Amores nascem, amores morrem, e poucos como Noel Rosa souberam captar tão bem esse lado menos glorioso do relacionamento entre duas pessoas. Com certeza essa belíssima canção dos anos 30 já fez muita gente se emocionar. Ainda mais na voz de Nelson Gonçalves.

4 - Fascinação, Elis Regina

A Fascinação que conhecemos é uma versão de uma música francesa do início do século XX. Quem a trouxe para o português foi o compositor Armando Louzada, e já foi gravada, entre outros, por Carlos Galhardo e Elis Regina. "Teu sorriso prende, inebria, entontece. És fascinação, amor". Pode suspirar...

5 - Pensando em ti, Caetano Veloso

Quem nunca passou dias e dias pensando na pessoa amada? O amor é tanto que tudo, os livros, a fumaça do cigarro, as preces, tudo remete a ela, e nada no mundo é capaz de substitui-la em seus pensamentos. Pois é, o amor às vezes faz isso com a gente. Essa canção dos anos 50, composta por Herivelto Martins e David Nasser, termina com o eu-lírico implorando: "Me deixe ao menos, por favor, pensar em Deus!".

6 - Jura, Zeca Pagodinho

Esse samba bombou recentemente na voz de Zeca Pagodinho: foi até tema de novela das 6. Mas o que muita gente não sabe é que ele foi composto no início do século passado, pelo sambista carioca Sinhô, e gravado pela primeira vez por Mário Reis em 1929. Você alguma vez já exigiu, antes de se entregar por inteiro (a), que outra pessoa jurasse seu amor por você? Pois é disso que fala "Jura".

7 - Este seu olhar, João Gilberto

"Este seu olhar, quando encontra o meu, fala de umas coisas que eu não posso acreditar". É assim que começa esse verdadeiro clássico da Bossa Nova, escrito por Tom Jobim e gravado por vários intérpretes, entre eles o genial João Gilberto. Já viveu aquele amor platônico, não correspondido? Então os versos dessa canção vão calar fundo na sua alma apaixonada.

8 - Pela luz dos olhos teus, Vinicius de Moraes

Essa canção traduz, com a maestria do poeta, todas as sensações que nos invadem quando nos apaixonamos: o desejo, a ansiedade, a vontade louca, que não pode esperar, de estar com a pessoa amada... Não tem como não se emocionar, ainda mais na versão clássica de Miúcha e Tom Jobim.

9 - Prova de carinho, Demônios da Garoa

Esse samba de Adoniran Barbosa conta a história de um sambista de que, para provar seu amor por uma mulher, tirou a corda do cavaquinho para lhe fazer uma aliança. O preço a pagar pelo "sacrificío" foi compensado pelo amor. Quer atitude mais romântica do que essa? A versão escolhida é a dos Demônios da Garoa, os maiores intérpretes de Adoniran.

10 - Máscara negra, Dalva de Oliveira

Ah, os Carnavais do passado!... Os bailes nos salões, os cordões nas ruas, as máscaras, os amores... Essa marchinha de Zé Keti, na voz de uma das maiores cantoras brasileiras de todos os tempos, Dalva de Oliveira, é uma pequena crônica do passado, para emocionar os corações de todas as épocas.

11 - Chega de saudade, João Gilberto

O símbolo maior da Bossa Nova, marco de uma mudança de rumos na MPB, "Chega de saudade" tem uma letra que fala de amor do início ao fim. E com que beleza! Quem não se derrete com versos como "há menos peixinhos a nadar no mar / do que os beijinhos que eu darei na sua boca"? Palmas para os autores, ninguém mais ninguém menos do que a dupla Vinicius de Moraes e Tom Jobim.

12 - Qui nem jiló, Luiz Gonzaga

Você sabe o que "amarga qui nem jiló"? Se você algum dia já sentiu saudade de um amor do passado, então você sabe. Ao menos é o que diz o Rei do Baião, Luiz Gonzaga, nesse que é um dos seus forrós mais famosos e que já foi cantado por muitos artistas da MPB, entre eles Gilberto Gil e Lenine.

13 - Só louco, Gal Costa

Nessa música de letra aparentemente simples, Dorival Caymmi diz algumas grandes verdades sobre o amor. A primeira é que o coração é insensato, louco, e que o amor muitas vezes leva ao sofrimento. A segunda é que a única forma de entender de amor é amando. Portanto, não tem muito jeito: amemos, apesar de toda loucura do coração.

14 - Detalhes, Roberto Carlos

Convenhamos: na MPB pouca gente fala de amor como o Rei. E "Detalhes", de 1971, verdadeiro clássico do gênero, fala das lembranças de um grande amor do passado, daqueles que difíceis de esquecer. Já embalou muitos corações saudosos e certamente continuará a embalar.

15 - Andança, Beth Carvalho

"Só o amor me ensina onde vou chegar". É com esse lema que o romântico andarilho prossegue seu caminhar, vestido de cetim e levando rosas nas mãos. No final, o verso célebre: "Por onde for, quero ser seu par". Beth Carvalho, uma das maiores vozes da MPB, fez dessa música (de autoria de Danilo Caymmi, Edmundo Souto e Paulinho Tapajós) sua marca registrada.

16 - Minha namorada, Vinicius de Moraes

Para resumir: essa música é uma declaração de amor. A introdução, um pequeno texto declamado, revela se tratar de uma carta em que o poeta declara todo o seu amor e projeta o futuro a dois. Um futuro de companheirismo e compreensão, com a promessa da eternidade. Intenso, não?

17 - Você não me ensinou a te esquecer, Caetano Veloso

Gravada pela primeira vez em 1978, por Fernando Mendes, essa música bombou na voz de Caetano Veloso no início dos anos 2000 e até hoje é muito tocada nas rádios de todo Brasil. É mais uma canção que fala do desespero de alguém que perdeu a pessoa amada. "E agora, que faço eu da vida sem você?".

18 - Eu te amo, Chico Buarque

Para quem curte uma música romântica, essa é daquelas que fazem a gente se arrepiar todo. Trata do fim de um relacionamento e de todas as aflições que envolvem esse momento tão difícil. Afinal, como separar duas vidas que durante anos ficaram completamente entrelaçadas? As imagens usadas pelo Chico são belíssimas. Vale a pena ouvir com atenção.

19 - Oceano, Djavan

"Oceano", lançada em 1989, é uma das músicas mais famosas de Djavan, e não por acaso: a forma como ele fala do amor é realmente belíssima. Versos como "você deságua em mim, eu oceano" já estão marcados na história da MPB e certamente no coraçãozinho de todos os apaixonados pela boa música.

20 - A viagem, Roupa Nova

Consagrada pela banda Roupa Nova, essa música, composta por Cleberson Horsth e Aldir Blanc, foi tema de novela homônima no início dos anos 90. Estão lembrados? Na novela, o amor era tão grande que resistia à viagem para além da vida. A viagem da música não é exatamente a mesma, mas a força do amor sim.

21 - É o amor, Zezé di Camargo & Luciano

Lançado em 1991, o sertanejo romântico "É o amor" estourou nas paradas de sucesso, e com certeza um dos motivos para isso é a maneira singela e certeira com que toca os corações apaixonados. Afinal, o que é o amor senão "um tiro certo no meu coração" ou aquilo "que faz eu esquecer que a vida é feita pra viver"?

22 - Por causa de você, menina, Jorge Ben Jor

O amor não correspondido... Poucas coisas deixam a gente tão pra baixo. Neste caso, um amor que nem teve a chance de ser correspondido ou não, pois a "menina" ainda não sabe quem ele é. Um admirador anônimo, que deseja, ama e chora calado. Já passou por isso alguma vez na vida?

23 - Onde a dor não tem razão, Paulinho da Viola

Nem sempre é fácil encontrar um amor. Há pessoas que passam muito tempo procurando, há outras que depois do fim de um grande amor levam um tempo até estarem prontas para encontrar uma nova pessoa. Esse samba de Paulinho da Viola fala disso e mais um pouco. Fala dos espinhos, mas também do nascimento de uma nova flor.

24 - Dia branco, Geraldo Azevedo

"Se você vier / pro que der e vier / comigo". É assim que começa essa linda canção, de Geraldo Azevedo e Renato Rocha e gravada em 1981. O que vem a seguir são promessas de amor. Mas não pense que são promessas materiais, coisas grandiosas. Nada disso. O que se promete é o Sol, se ele sair. O dia branco, se assim ele for. E não importa aonde se chegue - um "pedaço de qualquer lugar" - desde que seja a dois.

25 - E daí?, Maysa

De autoria de Miguel Gustavo, "E daí?" conta a história de um amor proibido. Um tema, aliás, muito explorado na literatura - Romeu e Julieta que o diga. Você já viveu um amor proibido? Se sim, o que você fez: desistiu ou foi atrás? Na canção, a pessoa vai atrás. E ainda por cima diz: "Proibam muito mais". Não adianta. Ninguém pode parar seu coração.

Veja também: 23 músicas românticas brasileiras para dedicar ao seu amor

As 15 músicas internacionais mais românticas que vão derreter seu coração