Os 10 melhores livros para conhecer a incrível obra de Gabriel García Márquez


Carlos Neto
Carlos Neto
Cientista Social

Gabriel García Márquez (1927-2014) foi um dos maiores escritores do século XX. Nascido na aldeia de Aratacata, na Colômbia, Gabo viveu boa parte de sua vida na Cidade do México, onde escreveu grande parte de sua obra. Foram mais de 30 títulos, sendo o mais famoso Cem Anos de Solidão, romance que tornou o autor colombiano conhecido mundialmente.

Seus livros já foram traduzidos para 46 idiomas e estima-se que só Cem Anos de Solidão já tenha vendido mais de 50 milhões de cópias. A fama atingiu seu auge em 1982, ano em que Gabo foi premiado com o Nobel de Literatura pelo conjunto da obra.

Gabriel Garcia Marquez

10. A Incrível e Triste História de Cândida Erêndira e sua Avó Desalmada

Após três dias de muita chuva, Pelayo encontra no pátio da sua casa, caído de bruços no meio do lodaçal, um homem velho e bastante debilitado. Mas não é só isso: o homem tem asas enormes, que o impedem de se levantar.

É assim que começa o primeiro dos sete contos que compõem essa obra magnífica, que se encerra com o conto que dá título ao livro. Esses contos são bons exemplos do que se convencionou chamar de realismo fantástico ou mágico.

Quando perguntado certa vez sobre o realismo mágico de sua obra, onde parece não haver tensão entre elementos fantásticos e realistas, Gabo respondeu:

No Caribe, e em geral na América Latina, consideramos as situações mágicas como parte integrante da vida cotidiana, da mesma maneira que a realidade banal e corrente. A crença nos presságios, na telepatia e nas premonições, assim como um sem número de superstições e interpretações fantásticas, nos parecem naturais. Nos meus livros, nunca busquei nenhuma explicação a todos esses fatos, nenhuma justificação metafísica. Considero-me um escritor realista e nada mais.

Entrevista concedida ao jornalista peruano Manuel Osorio em 1991

9. Memória de Minhas Putas Tristes

O protagonista é um homem de 90 anos cujo nome jamais é revelado. Durante toda a vida ele escreveu textos (crônicas e resenhas musicais) para um pequeno jornal, além de dar aulas de gramática para jovens. O livro narra a história desse nonagenário, com destaque para suas aventuras sexuais.

Eis que no seu aniversário de 90 anos, ele resolve se dar um presente um tanto inusitado. E parece que enfim conhece o amor.

Gabriel García Márquez
Encontro histórico: Adonias Filho (dir.), Gabriel García Márquez (cent.) e Jorge Amado (esq.).

8. Viver para Contar

A vida não é a que a gente viveu, e sim a que a gente “recorda”, e como recorda para contá-la.

Trecho de Viver para Contar (2002)

Viver para Contar é um livro memórias - dele e dos outros. Isso porque a narrativa regressa ao tempo em que o escritor ainda nem havia nascido. Nesse livro é possível conhecer a história de vida de García Márquez, da infância na aldeia colombiana de Aratacata à sua realização enquanto escritor. Ler essas memórias é um ótimo começo para quem quer saber como se deu a formação literária do grande autor colombiano.

7. O General em seu Labirinto

Esse romance está na fronteira entre o relato histórico e o literário. Ou entre o texto biográfico e o ficcional. O General em seu Labirinto reconstrói os últimos meses de vida do líder político venezuelano Simón Bolívar (1783-1830), um dos principais nomes nas chamadas guerras de independência da América Espanhola.

Gabo
Encontro entre Gabo, Fidel Castro e o cineasta argentino Fernando Birri.

6. O Outono do Patriarca

Livro mais vendido na Espanha no ano de 1975, seguido por Confesso que Vivi, de Pablo Neruda, O Outono do Patriarca é o primeiro romance publicado após o estrondoso sucesso de Cem Anos de Solidão. Aliás, o tema da solidão parece ser um dos eixos da obra de García Márquez.

Um ditador muito velho governa há muitos anos um país fictício situado no Caribe. Apesar de ficcional, o romance está ancorado na realidade histórica e pode ser lido como uma alegoria das experiências ditatoriais ocorridas em alguns países latino-americanos na segunda metade do século XX.

5. Os Funerais da Mamãe Grande

A história de um artesão que decide fabricar uma gaiola, e rapidamente a notícia de que ele está fabricando a mais bela gaiola de todo o mundo se espalha pelo povoado. Ou a vida solitária e triste de uma velha mulher que sofre com a falta do marido morto e com a incompreensão das pessoas à sua volta - que odiavam o marido dela.

O último dos oito contos desse livro gira em torno do enterro de Mamãe Grande, uma mulher poderosíssima, dona de cidades, terras, fontes de água... Seus bens terrenos são incalculáveis. Até as cores da bandeira e a liberdade dos cidadãos lhe pertencem! A história se passa na mítica Macondo, a cidade que foi eternizada alguns anos depois no best-seller Cem Anos de Solidão.

4. A Revoada (O Enterro do Diabo)

A Revoada é o livro de estreia de Gabriel García Márquez. A história se passa em Macondo, cidade imaginária inspirada na Aratacata da infância do autor. Para conhecer a fundo a obra do Gabo, esse romance é absolutamente obrigatório. Dá para ler numa sentada!

Só três pessoas participam do velório de um médico: o coronel da cidade, sua filha e seu neto. Tempos atrás, esse médico chegou à aldeia e foi acolhido pelo coronel. Mas com o passar do tempo o médico de hábitos estranhos foi sendo marginalizado pela comunidade. A ponto de ser apontado como o próprio diabo.

3. Crônica de uma Morte Anunciada

Tendemos a nos desinteressar pela história quando sabemos o que vai acontecer no final. Mas este não é o caso de Crônica de uma Morte Anunciada, ro no qual sabemos qual será o destino do protagonista logo no título. É outro livro que, de tão bom, devoramos de cabo a rabo em poucas horas!

Não espere encontrar elementos fantásticos neste livro. O relato é realista e tem ares de reportagem de jornal, com depoimentos, testemunhos e a tentativa de reconstrução dos episódios que levaram ao crime de vingança contra Santiago Nasar.

2. O Amor nos Tempos do Cólera

Um amor à distância que dura mais de 50 anos. Apesar do "não" da juventude, o telégrafo Florentino Ariza continua amando Firmina Daza, que acabou se casando e constituindo família com o médico Juvenal Urbino, o pretendente ideal.

Acontece que, após 50 anos de casamento, Juvenal morre, e é aí que Florentino ressurge para tentar conquistar o coração da septuagenária Firmina.

1. Cem Anos de Solidão

Gabriel García Márquez
O criador posando para foto com a primeira edição de sua principal criação.

Traduzido para 46 idiomas e com uma vendagem estimada em 50 milhões de exemplares, Cem Anos de Solidão é o principal livro de Gabriel García Márquez, a obra máxima do gênero realismo mágico e uma das mais importantes de toda a literatura de língua espanhola. Publicado em 1967, o livro fez sucesso imediato, tornando Gabo famoso internacionalmente.

Para conhecer a obra de Gabriel García Márquez Cem Anos de Solidão é absolutamente imprescindível. O enredo giram em torno da saga da família Buendía ao longo das gerações, desde José Arcadio Buendía e Úrsula Iguarán, casal que deu início ao povoamento da fictícia Macondo.

Cem Anos de Solidão vai virar série!

Em 2019, o serviço de streaming Netflix adquiriu os direitos de exibição da obra e anunciou que irá transformar o romance em série. Importante lembrar que Gabo trabalhou na indústria cinematográfica, criando roteiros e adaptações, além de escrever críticas.

Mas, apesar disso, ele sempre foi contrário à ideia de transformar seu principal romance em filme, sobretudo por não acreditar que isso fosse possível. Além disso, ele não admitia que uma adaptação não fosse feita em outro idioma que não o espanhol.

Carlos Neto
Carlos Neto
Formado em Ciências Sociais (FFLCH-USP), Carlos faz mestrado em Estudos Portugueses, com especialização em Literatura Portuguesa Contemporânea. É escritor e dá aulas de Redação e Sociologia na Educação Básica desde 2007.