Deu ruim! Conheça 15 filmes de tirar o fôlego sobre o fim do mundo!


Ana Laura Cruz
Mestre em Gestão e Estudos da Cultura

Desde o princípio da história da humanidade que existem várias teorias de como o mundo vai acabar. E praticamente todas elas já foram retratadas nas telonas.

Mas o cinema é tão vasto que também há espaço para outras possibilidades mais fantasiosas.

Sejam vírus malignos, colisões com asteroides ou ataques alienígenas, o fato é que não faltam opções para você assistir e se divertir com o fim do mundo!  

Eu Sou a Lenda (2007)

O que fazer quando a humanidade é dizimada por um vírus criado para curar o câncer? Um vírus que acaba matando 90% da população e transformando boa parte do restante em uma espécie de vampiros. Neste cenário, o virologista Robert Neville se vê sozinho em uma Nova York devastada. Quer dizer, sozinho não, que a sua cadelinha Sam lhe faz companhia.

O Dia Depois de Amanhã (2004)

As mudanças climáticas já são das maiores preocupações dos cientistas há alguns anos e, cá entre nós, é o motivo mais próximo para o mundo realmente acabar. Em O Dia Depois de Amanhã o mundo mergulha em uma nova Era do Gelo e enquanto o norte sofre com enormes tempestades, a única solução é pedir refúgio no sul. Chegar até lá é que é o problema.

Wall-E (2008)

Não é usual falar sobre o fim do mundo em filmes de animação dirigidos a crianças e é por isso mesmo que Wall-E se tornou tão especial. Com muitas mensagens sobre os cuidados que devemos ter com o nosso planeta, o filme ajuda a trazer para as crianças um alerta sobre os nossos próprios hábitos que podem ser nocivos para o planeta que chamamos de lar.

Não perca! Os melhores filmes para assistir na Netflix quando não sabe o que ver

Melancolia (2011)

Inspirado por um episódio depressivo vivido pelo próprio diretor Lars Von Trier, o filme retrata a vida de duas irmãs e seus casamentos, bem como a forma como elas encaram o iminente fim do mundo durante o período que antecede a colisão da Terra com um outro planeta.

É o Fim (2013)

Nem tudo é desgraça quando se trata do apocalipse! É o Fim retrata com muito bom humor como um grupo de atores bem conhecidos do grande público como Seth Rogen, James Franco e Emma Watson “se comportariam” caso o mundo chegasse ao fim. Dá pra ver que os atores se divertiram muito fazendo eles mesmos neste filme. Garantia de boas risadas.

Extermínio (2002)

Uma rara visão do fim do mundo vista por olhos europeus. Extermínio se passa na Inglaterra, logo após um vírus causar uma epidemia generalizada transformando as pessoas em uma espécie de zumbis, mas ainda vivos e cheios de vitalidade. O filme acompanha Jim em sua busca por sobrevivência, após acordar de um coma em uma Londres deserta.

Independence Day (1996)

Quando uma grande ameaça alienígena surge em busca de nada mais, nada menos, que exterminar a raça humana, não há outra alternativa que não todas as nações se unirem contra o inimigo em comum e proclamar a independência da raça humana!

Confira 14 filmes de guerra para assistir bem protegido no conforto da sua casa

A Estrada (2009)

Em A Estrada, não se sabe muito bem o que aconteceu para provocar toda a destruição da vegetação e deixar o sol encoberto, mas sabe-se as consequências disso. Aqui um pai tenta proteger a todo custo sua família de outros perigosos sobreviventes, que estão em seu encalço.

A Noite dos Mortos Vivos (1968)

O maior clássico de zumbis! O filme dirigido por George Romero que deu origem ao subgênero de terror. A história é muito simples, um casal tenta sobreviver a uma horda de pessoas que querem devorá-los depois de regressarem dos mortos sem qualquer explicação aparente. Você já deve ter visto esta história várias vezes, mas a primeira vez que ela foi contada foi neste filme.

Ensaio Sobre a Cegueira (2008)

E se de repente todos perdessem a visão, menos você? O renomado livro de José Saramago, vencedor do Prêmio Nobel, foi adaptado para o cinema pelas mãos de Fernando Meirelles para nos mostrar o declínio de uma sociedade que subitamente perde um sentido vital. E, consequentemente, perde o controle.

Filhos da Esperança (2006)

Em um futuro não muito distante, a humanidade se vê estéril e não nasce uma nova criança há 18 anos. O futuro da humanidade parece ser a extinção e o desespero da população acaba por causar o colapso de vários governos. Os britânicos são os únicos que se mantém e possuem regras bastante rígidas para imigrantes. É neste cenário caótico que uma grávida refugiada precisará da ajuda de Clive Owen para escapar e dar à luz.

Zumbilândia (2009)

Outra comédia sobre o fim do mundo para relaxar com o inevitável. Quando a doença da vaca louca evolui para a doença da pessoa louca, não demora para o mundo se tornar um grande parque de zumbis. Mas aqui, além do perigo há bastante diversão ao acompanhar o universitário Columbus que tenta voltar para casa e reencontrar os pais, mas antes passa por poucas e boas com os companheiros de estrada Tallahassee, Wichita e Little Rock.

Armageddon (1998)

Quando um asteróide do tamanho do estado do Texas se encontra em rota de colisão com a Terra, só há uma possibilidade de sobrevivência… Pôr Bruce Willis para resolver o problema! O plano da Nasa é enviar um grupo de mineradores comandado por Willis para o espaço com a missão de explodir a ameaça, o que pode dar errado, né?

Contágio (2011)

A única coisa mais rápida de se espalhar do que este vírus mortal é o medo que ele proporciona. Quando uma pandemia mortal se espalha rapidamente, os cientistas se vêem em uma corrida contra o tempo para encontrar o paciente zero e entender o funcionamento do vírus com o objetivo de encontrar uma cura. Mas será que dá tempo?

Planeta dos Macacos (1968)

Planeta dos Macacos já nos brindou com vários filmes bons (outros nem tanto), mas o filme de origem é sem dúvidas o melhor de todos. Com direito a uma das cenas finais mais icônicas da história do cinema. É o começo da épica batalha entre os homens e os macacos que já dura décadas, pelo menos nos cinemas.

Gostou? Veja também Dos clássicos aos pipocas: conheça os 15 melhores filmes de ação!

Ana Laura Cruz
Mestre em Gestão e Estudos da Cultura, especializada em Comunicação Audiovisual desde 2009. Produz textos e eventos culturais. Viaja no mundo e na maionese, sempre que possível de carona.