Conheça os países mais seguros para se viver em 2019


O mundo, infelizmente, ainda continua muito violento, mais violento do que era em 2008. Apesar disso, a situação melhorou um pouco a partir de 2014, com avanços significativos em alguns países.

Quem diz isso é o Índice Global da Paz (GPI), relatório produzido anualmente pelo Instituto para Economia e Paz, entidade de pesquisa internacional sem fins lucrativos sediada na Austrália. Esse índice revela os resultados do principal estudo sobre os níveis de paz em todo o mundo, cobrindo cerca de 99,7% da população mundial.

Os 20 países mais seguros do mundo

Islândia
Reykjavik é a capital do país mais seguro do mundo para se viver: a Islândia.

Dos 163 países estudados, o mais seguro é a Islândia, país insular situado no norte do Oceano Atlântico. Com seus pouco mais de 350 mil habitantes, a Islândia possui um IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) elevadíssimo, sinal de que não se destaca positivamente apenas em segurança, mas também em educação, saúde e padrão de vida. Na verdade, desde 2008 que a Islândia ocupa o posto de país mais mais pacífico do mundo.

Desde 2008, metade dos países europeus piorou em relação ao nível de segurança. Este não é o caso da Islândia, o único país nórdico que na última década se tornou ainda mais pacífico.

Vejamos quais são os 20 países mais seguros do mundo:

  1. Islândia 1.072
  2. Nova Zelândia 1.221
  3. Portugal 1.274
  4. Áustria 1.291
  5. Dinamarca 1.316
  6. Canadá 1.327
  7. Singapura 1.347
  8. Eslovênia 1.355
  9. Japão 1.369
  10. República Checa 1.375
  11. Suíça 1.383
  12. Irlanda 1.390
  13. Austrália 1.419
  14. Finlândia 1.488
  15. Butão 1.506
  16. Malásia 1.529
  17. Holanda 1.530
  18. Bélgica 1.533
  19. Suécia 1.533
  20. Noruega 1.536

Para se medir o nível de tranquilidade, os pesquisadores do Instituto para Economia e Paz usam 23 indicadores, reunidos em em 3 critérios fundamentais:

  1. conflitos internos ou externos em andamento;
  2. níveis de segurança e proteção das pessoas;
  3. grau de militarização do país.

Assim, quanto maiores forem os números em cada um dos indicadores, menor o nível de segurança do país. Por exemplo: um país envolvido em conflitos externos, com altos índices de criminalidade e elevada militarização terá fatalmente um baixo índice de tranquilidade. E o contrário também é verdadeiro: quanto menores os níveis em cada um dos domínios, mais pacífico será o país.

A Nova Zelândia, segundo país mais pacífico do mundo, poderia ter uma pontuação ainda melhor se não fosse o atentado terrorista de 15 de março de 2019 que resultou na morte de 51 pessoas que rezavam em duas mesquitas da cidade Christchurch. O que segurou a Nova Zelândia na segunda colocação foi a manutenção ou melhoria em quase todos os indicadores dos três domínios analisados.

Nova Zelândia
Wellington é a capital do segundo país mais seguro do mundo: a Nova Zelândia.

A pontuação que aparece ao lado do nome de cada país reflete esses dados: quanto menor a pontuação, mais pacífico é o país. Quanto maior a pontuação, mais violento.

De todos esses critérios, o único que diminuiu entre 2008 e 2019 foi o grau de militarização. Caiu, em média, 2,6% nos países analisados. Em 117 países, diminuiu o número de integrantes das forças armadas por 100 mil habitantes, e em 98 países caíram os gastos militares relativamente ao PIB.

O Butão é um dos destaques do top 20: ninguém melhorou mais em termos de segurança do que ele - subiu nada menos que 43 posições em 12 anos!

Portugal, destino de muitos brasileiros nos últimos anos, é um país cujos índices de criminalidade, além de já serem muito baixos, vêm caindo ainda mais na última década. De 2008 a 2018, houve queda de 37% no número de casos de crimes violentos cometidos no país. Contribuem com isso a não participação em conflitos armados e a baixa militarização. Resultado: Portugal aparece em 3º na lista.

Portugal
Lisboa é a capital do 3º país mais seguro do mundo: Portugal.

Posição do Brasil e dos países sul-americanos

O Brasil ocupa uma posição ruim no ranking. É o 116º colocado de 163 países, sendo classificado como uma nação com estado de paz médio, apenas três posições acima do bloco de países com estado de paz considerado baixo. Só para se ter uma ideia, a pontuação do Brasil é 2.271, bem acima dos 1.072 da primeira colocada, a Islândia.

Segundo o relatório, as três Américas pioraram em termos de segurança nos últimos anos. A crescente polarização política e a violência relacionada ao tráfico de drogas são apontadas como as duas principais causas pelas quais o Brasil caiu 10 posições no ranking entre 2018 e 2019. Essa queda do Brasil é a quinta maior entre todos os países do mundo.

As únicas nações sul-americanas que melhoraram no ranking foram Chile, Uruguai e Colômbia. O mais bem posicionado é o Chile, na 27ª colocação, seguido de perto pelo Uruguai, em 34º. Ambos os países têm estado de paz classificado como alto. Só mais dois sul-americanos pertencem a esse seleto grupo com nível de paz alto: Equador e Argentina.

Vejamos a lista completa dos países sul-americanos:

  1. Chile (27º) 1.634
  2. Uruguai (34º) 1.711
  3. Equador (71º) 1.980
  4. Argentina (75º) 1.989
  5. Peru (80º) 2.016
  6. Bolívia (85º) 2.044
  7. Paraguai (88º) 2.055
  8. Guiana (92º) 2.075
  9. Brasil (116º) 2.271
  10. Colômbia (143º) 2.661
  11. Venezuela (144º) 2.671
Chile
Santiago é a capital do país mais seguro da América do Sul: o Chile.

Os dois piores colocados - Colômbia e Venezuela - estão entre os 10 países do mundo com pior índice de "níveis de segurança e proteção". Isso ajuda a explicar a posição ruim no ranking. No caso da Venezuela, a grave crise política e o colapso econômico, que motivaram emigrações em massa, estão entre os fatores determinantes do baixo nível de paz nesse país.

Leia também: Os 20 países com o maior IDH do mundo

2019: Os 12 países mais ricos do mundo no ano passado

Os 15 melhores países para morar se você for mulher