25 filmes franceses para você iniciar um ótimo papo sobre cinema!


Quer bater um papo de cinema com aquele seu amigo cinéfilo? Nada melhor do que conferir a lista da revista Indiewire com os 25 melhores filmes franceses do século XXI (até o momento) para você se sentir como um intelectual da sétima arte.

Esta lista considerou os melhores filmes de produção ou co-produção francesa lançados a partir dos anos 2000. Neste ranking, faremos a contagem decrescente para você descobrir no finalzinho qual levou o título de melhor filme francês do século XXI.

25. La Sapienza (2014)

Direção: Eugène Green

mm-la-sapienza

As pessoas que apreciam belas paisagens e discussões filosóficas sobre o amor, a vida e a arte vão se apaixonar por La Sapienza. O filme de Eugène Green se passa nas belas cidades italianas de Turim e Roma e conta a história de um prestigiado arquiteto que viaja com a esposa para a Itália. Em meio às dificuldades criativas e de relacionamento, o casal vai conhecer dois peculiares irmãos que os ajudarão a encontrar outros sentidos para a vida.

24. Uma Passagem para a Vida (2002)

Direção: Patrice Leconte

mm-uma-passagem-para-a-vida

Filmes sobre amizades inesperadas são normalmente um prato cheio para cenas peculiares. Neste filme de Patrice Leconte, um ladrão desembarca em uma pequena cidade francesa, onde se prepara para assaltar o banco local. Ele acaba conhecendo um professor aposentado que o convida para se hospedar em sua casa. Uma inesperada amizade se desenvolverá e os dois personagens receberão a chance de explorar caminhos diferentes.

23. Homens e Deuses (2010)

Direção: Xavier Beauvois

mm-homens-e-deuses

Uma emocionante história de fé em meio à guerra. Para quem gosta de extraordinárias histórias baseadas em acontecimentos reais, Homens e Deuses vai te fazer refletir sobre a condição humana. O filme conta a história de oito monges franceses que vivem em um mosteiro localizado na Argélia. Ameaçados pelo Grupo Islâmico Armado, eles recusam a ajuda de proteção do exército argelino e decidem enfrentar as consequências de permanecerem no local.

22. Swimming Pool - À Beira da Piscina (2003)

Direção: François Ozon

mm-swmming-pool

Uma escritora de mistérios britânica se hospeda na casa de veraneio de seu editor no sul da França. O retiro da escritora vai se tornar complicado após a chegada da filha do editor à casa. François Ozon cria uma atmosfera noir neste ambíguo filme de tirar o fôlego.

21. O Pequeno Quinquin (2014)

Direção: Bruno Dumont

mm-o-pequeno-quinquin

Este não é um filme para os fracos. São três horas e meia de suspense, ação e humor. Na trama, uma vaca é encontrada morta com restos humanos na barriga. A natureza macabra do crime leva a uma investigação policial operada pelo capitão Van der Weyden e seu parceiro Carpentier, ao mesmo tempo, eles são seguidos pelo pequeno Quinquin, um menino que cria confusões por onde passa.

20. Entre os Muros da Escola (2008)

Direção: Laurent Cantet

mm-muros-da-escola

Quem procura um filme inspirador já pode adicionar Entre os Muros da Escola na lista. Este premiado clássico contemporâneo do cinema francês revela as dificuldades de professores em um bairro conflituoso na periferia de Paris. A paixão pela educação do professor François vai ser testada pelas diversas dificuldades que enfrenta com os alunos.

19. Depois de Maio (2012)

Direção: Olivier Assayas

mm-depois-de-maio

Um filme feito para sonhadores. Bela fotografia, reflexões sobre a revolução, a arte e o amor. Olivier Assayas constrói um universo onde jovens dos anos 70 acreditam que devem continuar lutando pelos ideais de maio de 68. Um filme energético que vai encher os seus olhos com lindas imagens e discursos inspiradores.

18. De Tanto Bater, Meu Coração Parou (2005)

Direção: Jacques Audiard

mm-bater-meu-coração-parou

Para quem curte um thriller que é ao mesmo tempo instigante e complexo, o filme de Jacques Audiard tem muito a oferecer. Ele conta a história de Thomas, um homem dividido entre o brutal mundo dos negócios imobiliários e a sua paixão pelo piano.

17. Quando Se Tem 17 Anos (2016)

Direção: André Téchiné

mm-quando-se-tem-17

Falar sobre adolescência e sexualidade com sensibilidade e realismo não é tarefa fácil. No entanto, o drama Quando Se Tem 17 Anos de André Téchiné, realiza um belo estudo de personagens ao contar a história do jovem Damien e seu difícil relacionamento com o colega de escola, Thomas.

16. L’Apollonide – Os Amores da Casa de Tolerância (2011)

Direção: Bertrand Bonello

mm-L’Apollonide

Para os amantes da estética de Moulin Rouge, o filme Os Amores da Casa de Tolerância farão seus olhos brilharem com cenários e figurinos majestosos do início do século XX. Ele se passa em um bordel parisiense e conta a história de mulheres lutando para manter o local aberto, em uma época em que a prostituição de rua começa a crescer na França.

15. Adeus, Primeiro Amor (2011)

Direção: Mia Hansen-Løve

mm-adeus-primeiro-amor

Quem nunca teve um coração partido que atire a primeira pedra. Para os apaixonados por romance, Adeus, Primeiro Amor conta a história dos jovens Camille e Sullivan. Os dois se apaixonam no período das férias de verão, mas acabam se separando. O rapaz vai voltar à vida de Camille quando ela se apaixona por outra pessoa.

14. Um Conto de Natal (2008)

Direção: Arnaud Desplechin

mm-um-conto-de-natal

Não se engane pelo nome, este não é o seu típico filme natalino, mas sim uma dramédia (comédia dramática) que surpreende os espectadores. As relações familiares são o cerne deste filme dirigido por Arnaud Desplechin. Na trama, quando a matriarca da família descobre que tem leucemia, ela reúne todos os familiares na noite de natal para saber quem poderá ser o possível doador de medula óssea.

13. O Escafandro e a Borboleta (2007)

Direção: Julian Schnabel

mm-o-escafandro-e-a-borboleta

Um clássico contemporâneo, O Escafandro e a Borboleta é um daqueles filmes que nos fazem refletir sobre a vida. Ele conta a história real do jornalista Jean-Dominique Bauby, que aos 43 anos de idade sofreu um derrame que deixou o seu corpo paralisado. Jean só consegue piscar o olho esquerdo, mas isso não o impede de aprender a se comunicar e escrever um livro de memórias.

12. Visages, Villages (2017)

Direção: JR e Agnès Varda

mm-visages-villages

Os fãs de arte de rua e cinema vão se apaixonar por este delicioso documentário realizado pela lendária cineasta Agnès Varda e o artista visual JR. Juntos, eles viajam pela França compartilhando o amor que sentem pelas imagens.

11. Horas de Verão (2008)

Direção: Olivier Assayas

mm-horas-de-verão

O drama familiar Horas de Verão é um intrigante filme sobre as relações familiares e reflexões sobre o passado e o futuro. Ele conta a história de três irmãos que precisam tomar decisões após a morte da mãe, herdeira de uma extraordinária coleção de arte do século XIX.

10. Azul é a Cor Mais Quente (2013)

Direção: Abdellatif Kechiche

mm-azul-e-a-cor-mais-quente

O íntimo e provocador Azul é a Cor Mais Quente é antes de tudo um filme sobre autodescobertas. Na trama, Adèle, uma garota de 15 anos, descobre sua primeira paixão por uma mulher. Enquanto os conflitos com a família e a moral são travadas, ela se entrega ao amor que nutre por Emma. Este premiado filme é, sem dúvida, essencial na lista dos apaixonados pelo cinema francês.

9. Caché (2005)

Direção: Michael Haneke

mm-cache

Para quem adora um suspense recheado de mistérios, Caché é um deleite para os aficionados pelo gênero. Estrelado pela premiada Juliette Binoche, o filme conta a história de Georges, um apresentador de programa literário que recebe vídeos filmados secretamente dele com sua família e desenhos sinistros. O casal vai tentar encontrar o autor das ameaças que perturbam a paz da sua família.

8. Tomboy (2011)

Direção: Céline Sciamma

mm-tomboy

Sensibilidade é a palavra chave para tratar de questões como sexualidade e identidade de gênero na pré-adolescência; e isso, o filme Tomboy tem de sobra. Um retrato íntimo da fragilidade da personagem Laura, que aos 10 anos, decide se apresentar para os amigos do novo bairro como Michael. Por ser diferente dos outros meninos, ela acaba despertando o interesse de sua amiga, Lisa.

7. O Fabuloso Destino de Amélie Poulain (2001)

Direção: Jean-Pierre Jeunet

mm-fabuloso-destino-de-amelie-poulain

O que dizer de Amélie que já não foi dito? O cultuado filme de Jean-Pierre Jeunete encontra-se na lista de filmes preferidos de muita gente ao redor do mundo. A carismática e excêntrica personagem interpretada por Audrey Tautou acabou virando símbolo pop. Esta peculiar comédia chegou a ter uma adaptação na Broadway e definitivamente marcou lugares para se visitar em Paris. Se você ainda não assistiu, não perca tempo, se já viu 20 vezes, veja mais uma. Vai animar o seu dia, prometo!

6. O Profeta (2009)

Direção: Jacques Audiard

mm-profeta

Para os fãs de dramas policiais, O Profeta é sem dúvida um filme que se destaca no gênero. Indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro e vencedor do Grande Prêmio do Júri em Cannes, a trama conta a história de Malik, um jovem árabe/córsico condenado a seis anos de prisão. Na cadeia, ele vai ser recrutado pelo líder da facção dos córsicos para diversos "trabalhos" a serem realizados.

5. Eden (2014)

Direção: Mia Hansen-Løve

mm-eden

Quem conhece o duo de música eletrônica Daft Punk sabe que o mistério por trás dos capacetes nunca nos foi revelado. O filme Eden não é exatamente sobre os robôs que lançaram hits como One More Time. Ele conta a história do cenário underground de música eletrônica parisiense no início dos anos 90, onde inclusive, o Daft Punk frequentava. Mais especificamente, é uma semi biografia da vida do irmão da diretora Mia Hansen-Løve. Sven tentou a carreira de Dj por anos e o filme retrata suas frustrações por nunca ter conseguido engrenar neste cenário musical.

4. Adeus à Linguagem (2014)

Direção: Jean-Luc Godard

mm-adeus-a-linguagem

Jean-Luc Godard não é nenhum estranho nas listas de melhores filmes; mas o fato de ele continuar surpreendendo audiências com seus filmes até hoje é sem dúvida, notório. O nome mais famoso da Nouvelle Vague impressionou os jurados de Cannes em 2014 com este filme experimental 3D que explora dentre outros assuntos o próprio universo da linguagem cinematográfica.

3. 35 Doses de Rum (2008)

Direção: Claire Denis

mm-35-doses-de-rum

Quem gosta de um drama complexo que explora os sentidos e sensibilidades da condição humana vai se pegar agarrado na tela assistindo a este longa. A diretora Claire Denis apresenta a história do viúvo Lionel, condutor de trens que mora com sua filha Josephine em um complexo habitacional. O relacionamento de pai e filha vai ser questionado quando a jovem começa a amadurecer e se tornar mais independente.

2. Amor (2012)

Direção: Michael Haneke

mm-amor

Ficar juntos velhinhos é uma frase que casais apaixonados costumam dizer com frequência. Colocando este conceito em cena, o diretor Michael Haneke explora a relação de George e Anne, um casal de aposentados na faixa dos 80 anos de idade. Quando Anne sofre um derrame que a deixando debilitada, o verdadeiro amor do casal vai ser colocado em prova.

1. Holy Motors (2012)

Direção: Leos Carax

mm-amor

“Não entendi absolutamente nada” e “Esquisito” foram alguns dos comentários mais comuns feitos sobre Holy Motors quando o filme estreou. Mas tem uma razão para ele estar em primeiro lugar nesta lista da Indiewire. O longa de Leos Carax é no mínimo exuberante e visualmente espetacular. Dê uma chance para esta obra e vislumbre o camaleônico Denis Lavant em uma das performances mais estranhas e energéticas dos últimos tempos.

Gostou desta lista? Agora descubra 15 dos melhores filmes cult já feitos!